18 de outubro de 2012

Carta que recebemos da curadora da Galeria de Arte La Salle

Posted in
Niterói, 16 de outubro de 2012
À Armazém produções

Prezados,

Venho por meio desta mensagem agradecer-lhes a oportunidade de receber as obras da artista Ana Carolina na Galeria de Arte La Salle, Unilasalle-RJ.
Neste espaço universitário de produção de conhecimentos a proposta do Núcleo de Arte e Cultura foi sempre o de promover, além d...
as exposições e eventos, - que educam o olhar e os sentidos – a rede interdisciplinar que mistura saberes e linguagem.
A exposição Ensaio de Cores nos trouxe a experiência viva de mistura de linguagens através da interpretação de cores, formas, texturas e do pensamento poético da artista transcendendo as fronteiras e levando-nos a sentir a energia e o vigor da criação não por si só, mas pelo outro, pela solidariedade. Leva-nos a sentir. Leva-nos a pensar. Leva-nos a criar. A energia de Ana Carolina que se manifesta na linguagem e como linguagem, mas que não é verbal, enraíza-se nas pulsações na matéria cósmica e da vida de todos os acadêmicos que passam pela Galeria. Vida transformada. Parto e geometria. Vidência e arquitetação. Não somos mais os mesmos.
Sua poética da forma e do gesto faz-nos relembrar as múltiplas dimensões da palavra, desta vez pintada, que é indissociavelmente som e sentido. Som como possibilidade enraizada na própria constituição orgânica do homem, do seu cérebro, de sua garganta, da sua língua. Assim, pela apreensão visual e sensitiva de suas obras percebemos que estamos enraizados nas informações da vida e do universo, que continuamos em novas mensagens, em novos textos significativos.
Um dos trabalhos de vida, em nossos dias, é descobrir, despertar e desenvolver a capacidade criadora, não só para subsistirmos às redes de dominação que nos cercam, mas também para fazer novas formas de vida e novas maneiras de dizer a vida. Contra a padronização esterilizadora das horas de hoje – e de ventos do futuro – a prática sempre insubmissa do gesto poético continua a sublevar a linguagem, o corpo, a imaginação. Assim é a artista Ana Carolina: faz do gesto poético da arte uma ação transformadora vivenciada ao mesmo tempo como ideia, como corpo sensível e pensante. Como produção de sentidos. A unidade indissociável de estruturas significantes são “instantes-iluminações”.
Em nome do Reitor desta Universidade, Irmão Ignácio Lucio Weschelfelder fsc, agradecemos à produção, principalmente à Sônia Mártyres pela atenciosa orientação e competência em desvelar e ampliar a percepção acadêmica quanto ao trabalho realizado pela artista Ana Carolina que tem a ARTE como linguagem de vida e que fez-nos perceber a alegria de conhecer e transformar o mundo, a nossa realidade.
De criar e recriar a existência.

Com estima, gratidão e admiração,

Angelina Rojas
Coordenação do Núcleo de Arte e Cultura
UNILASALLE-RJ

Fonte: Ensaio de Cores AC

“Eu respeito muito a música e ela me dá isso de volta...”- Ana Carolina